Profissionais: 7103
Prontuários: 496263

Portal Saúde Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos Algoritmos Diretrizes Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Protocolo Clínico e de Regulação para Apnéia no Adulto (SAOS)

Fabiana C P Valera, Alan Eckeli, Heidi H Sander, Daniel S Kupper, Geruza A Silva, Regina M F Fernandes
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo.
Número: 2177 / Publicado em 03/04/2012 - 10:21

A Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS) é caracterizada por obstrução recorrente das vias aéreas superiores durante o sono. A prevalência da SAOS varia de 0,8 a 24% na população geral, sendo comparável a outras doenças crônicas como hipertensão arterial, epilepsia e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Esta doença tem merecido cada vez mais a atenção do sistema de saúde em virtude da sua morbidez e do crescente conhecimento das doenças associadas a ela.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e de Regulação para Icterícia no Adulto e Idoso

José Sebastião dos Santos, Rafael Kemp, Ajith Kumar Sankarankutty
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo.
Número: 2176 / Publicado em 03/04/2012 - 10:21

Os pacientes adultos e idosos com icterícia que buscam os serviços de saúde podem apresentar-se, na maioria das vezes, com quatro cenários distintos. Os pacientes que estão conscientes e estáveis e apresentam icterícia sem dor e sem febre podem ter a avaliação e o tratamento programados. Desse grupo, aqueles que possuem vesícula palpável podem apresentar neoplasia periampolar e devem ser encaminhados para um serviço de cirurgia digestiva em hospital terciário; os demais precisam ser submetidos a exames bioquímicos e de imagem para definir se a doença é de abordagem clínica ou cirúrgica.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Seleção e Adaptação de Prótese Auditiva para Indivíduos Adultos e Idosos

Juliana Harumi Iwahashi, Isabela de Souza Jardim, Carina Stábile Sizenando, Ricardo Ferreira Bento
Arq. Int. Otorrinolaringol. 2011;15(2):214-222.
Número: 2175 / Publicado em 03/04/2012 - 10:12

O protocolo fonoaudiológico de seleção e adaptação da prótese auditiva para adultos e idosos demonstra que um maior número de informações coletadas propicia melhor orientação da expectativa real e maior efetividade no aconselhamento ao uso da prótese auditiva, favorecendo, desta maneira, o desempenho auditivo, a satisfação e o benefício do indivíduo.

Abrir arquivo em PDF

Manual de Saúde do Idoso

Departamento de Atendimento Básico - Secretaria Municipal de Saúde
Prefeitura Municipal de Santos - SP - Abril 2003
Número: 2174 / Publicado em 03/04/2012 - 10:01

O Manual de Saúde do Idoso é mais um passo dado nesse cuidado com pessoas tão especiais e vai ajudá-las no entendimento de algumas doenças próprias da terceira idade, além de cuidados que devem ser tomados preventivamente, em relação a diabetes, hipertensão, nutrição, osteoporose, quedas, saúde bucal, depressão e vacinação. A publicação, escrita em linguagem acessível, na forma de perguntas e respostas, traz também informações importantes para uma vida saudável, entre elas, o direito à sexualidade.

Abrir arquivo em PDF

Estatuto do Idoso

Secretaria-Executiva - Série E. Legislação de Saúde
Ministério da Saúde - Brasília / DF • 2003
Número: 2173 / Publicado em 03/04/2012 - 09:58

O aumento da longevidade e a redução das taxas de mortalidade, nas últimas décadas do século passado, mudaram o perfil demográfico do Brasil. Rapidamente, deixamos de ser um “país de jovens” e o envelhecimento tornou-se questão fundamental para as políticas públicas. Os brasileiros com mais de 60 anos representam 8,6% da população. Esta proporção chegará a 14% em 2025 (32 milhões de idosos).

Abrir arquivo em PDF

Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

ABrELA
http://www.abrela.org.br/PDF/livreto_2010.pdf
Número: 2172 / Publicado em 03/04/2012 - 08:15

Objetivando-se um melhor entendimento da esclerose lateral amiotrófica no Brasil, propiciar maiores informações e facilitação para orientações terapêuticas, médicos brasileiros com o apoio do Laboratório Sanofi-Aventis fundaram a ABrELA em 1998, sendo que suas atividades iniciaram-se em 1999. A primeira iniciativa foi catalogar os pacientes no território nacional. Em 1998, por meio de pesquisa com médicos brasileiros, foram identificados 540 pacientes com ELA, sendo 58,5% do sexo masculino. Cerca de 5,9% dos pacientes tinham uma história familiar de outros casos de ELA. A média de idade de aparecimento dos primeiros sintomas foi de 52 anos, mais baixa que na Europa e nos Estados Unidos. Estima-se, em nosso meio uma incidência de 1,5 casos/100.000 pessoas, ou seja, 2500 pacientes/ano.

Abrir arquivo em PDF

Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa : Manual de Preenchimento

Secretaria de Vigilância em Saúde - Série A. Normas e Manuais Técnicos
Ministério da Saúde - Brasília / DF • 2008
Número: 2171 / Publicado em 02/04/2012 - 09:40

Segundo as projeções estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o período de 1975 a 2025 será a era do envelhecimento – a população de idosos no País crescerá 16 vezes –, colocando o Brasil em termos absolutos como a sexta população de idosos do mundo, ou seja, mais de 32 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Paralela a essa transição demográfica, ocorreu uma importante transformação do perfil das doenças na população, cujas doenças próprias do envelhecimento, que costumam ser crônicas e múltiplas, ganharam maior expressão no conjunto da sociedade.

Abrir arquivo em PDF

Controle dos Cânceres do Colo do Útero e da Mama

Secretaria de Vigilância em Saúde - Cadernos de Atenção Básica nº13
Ministério da Saúde - Brasília / DF • 2006
Número: 2170 / Publicado em 02/04/2012 - 09:35

Dentre alguns desafios para se alcançar integralidade na assistência à saúde da mulher na Atenção Básica, estão as ações de controle dos cânceres do colo do útero e da mama. O câncer está entre as principais causas de morte na população feminina e, a mudança de hábitos, aliada ao estresse gerado pelo estilo de vida do mundo moderno, contribuiem diretamente na incidência dessa doença. Alguns fatores como o tipo de alimentação, o sedentarismo, o tabagismo, a sobrecarga de responsabilidades – aumento considerável do número de mulheres chefes de família –, a competitividade, o assédio moral e sexual no mundo do trabalho, têm relevância destacada na mudança do perfil epidemiológico da situação e doença das mulheres.

Abrir arquivo em PDF

Dermatoses Ocupacionais

Secretaria de Vigilância em Saúde - Série A. Normas e Manuais Técnicos
Ministério da Saúde - Brasília / DF • 2006
Número: 2169 / Publicado em 02/04/2012 - 09:26

Com o intuito de atender os trabalhadores com suspeita de agravos à saúde relacionados ao trabalho, incluindo os procedimentos compreendidos entre o primeiro atendimento até a notificação, esta publicação trata-se de dotar o profissional de mais um instrumento para o cumprimento de seu dever enquanto agente de Estado, contribuindo para melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e, por conseguinte, para a garantia de seus direito à saúde, e visa também oferecer recomendações e parâmetros para seu diagnóstico, tratamento e prevenção.

Abrir arquivo em PDF

Diretrizes para o Controle da Sífilis Congênita

Secretaria de Vigilância em Saúde - Série Manuais nº 62
Ministério da Saúde - Brasília / DF • 2005
Número: 2168 / Publicado em 02/04/2012 - 09:20

Quando a mulher adquire sífilis durante a gravidez,poderá haver infecção assintomática ou sintomática nos recém-nascidos. Mais de 50% das crianças infectadas são assintomáticas ao nascimento, com surgimento dos primeiros sintomas, geralmente, nos primeiros 3 meses de vida. Por isso, é muito importante a triagem sorológica da mãe na maternidade.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
02/08/2020