Profissionais: 7090
Prontuários: 489109

Portal Saúde Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos Algoritmos Diretrizes Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

As Drogas e o Cérebro: Álcool, Anfetamina, Nicotina, Canabis, Heroína, Cocaína.

IBRO- International Brain Research Organization.
http://www.braincampaign.org/Pub/Pub_Front.asp
Número: 997 / Publicado em 23/06/2012 - 21:41

Existem muitas pessoas com um desejo constante de alterar o estado de consciência recorrendo ao uso de drogas. Usam drogas estimulantes de modo a permanecerem acordadas e dançarem a noite inteira. Outras usam sedativos para ficarem mais calmas, ou mesmo substâncias que lhes permitem experimentar novas formas de consciência e esquecer os problemas diários. Todas as drogas interagem de modo particular com neurotransmissores e outros sistemas de mensageiros químicos. Em muitos casos, as drogas tomam conta de sistemas cerebrais envolvidos no prazer e recompensa – processos psicológicos importantes no acto de comer, beber, relações sexuais e até aprendizagem e memória.

Abrir arquivo em PDF

Comportamento de Risco de Mulheres Usuárias de Crack em relação às DST/AIDS.

Solange Aparecida Nappo.
Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas – CEBRID.
Número: 996 / Publicado em 23/06/2012 - 21:42

Crack, também conhecido como pedra, é a forma de base livre da cocaína, podendo ser obtido do cloridrato de cocaína ou da pasta de cocaína, ambos produtos de extração da coca.

Abrir arquivo em PDF

Estratégias Clínicas para a Cessação do Tabagismo.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA.
BRATS - Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde - Ano V nº 12 | Junho de 2010.
Número: 995 / Publicado em 23/06/2012 - 21:43

Apesar dos malefícios associados ao tabagismo, o número de fumantes é alarmante e vem crescendo principalmente nos países de renda média e baixa. Estratégias para redução da iniciação e para elevação da cessação do tabagismo assumem papel de grande importância neste cenário e devem ser fortemente incentivadas pelas autoridades de saúde.

Abrir arquivo em PDF

Atualização do Consenso Brasileiro no Diagnóstico e Tratamento da Artrite Reumatóide.

Consenso Brasileiro de Doenças Reumáticas.
Temas de Reumatologia Clínica - Vol. 10 - Nº 1 - Março de 2009.
Número: 994 / Publicado em 23/06/2012 - 21:44

A artrite reumatoide (AR) é uma doença autoimune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva a deformidade e destruição das articulações em virtude de erosões ósseas e da cartilagem. Afeta mulheres duas a três vezes mais do que homens e sua prevalência aumenta com a idade.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas: Artrite Reumatóide.

Portaria SAS/MS nº 865, de 05 de novembro de 2002.
Ministério da Saúde.
Número: 993 / Publicado em 23/06/2012 - 21:44

Artrite reumatóide é uma desordem auto-imune, de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva a deformidade e destruição das articulações devido à erosão da cartilagem e do osso. Quando apresenta envolvimento multissistêmico, a morbidade e a gravidade da doença são maiores. A maioria dos pacientes apresenta um curso clínico flutuante, com períodos de melhora e exacerbação dos sintomas articulares. A prevalência estimada é de 1%, com incidência de 36:100.000 em mulheres e de 14:100.000 em homens.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas: Doença de Alzheimer.

Portaria SAS/MS nº 843, de 31 outubro de 2002.
Ministério da Saúde.
Número: 992 / Publicado em 23/06/2012 - 21:45

Síndrome clínica decorrente de doença ou disfunção cerebral, usualmente de natureza crônica e progressiva, a demência caracteriza-se pela perturbação de múltiplas funções cognitivas, incluindo memória, atenção e aprendizado, pensamento, orientação, compreensão, cálculo, linguagem e julgamento. O comprometimento das funções cognitivas é comumente acompanhado, e ocasionalmente precedido, por deterioração do controle emocional, comportamento social ou motivação. A demência produz um declínio apreciável no funcionamento intelectual e interfere com as atividades do dia-a-dia, como higiene pessoal, vestimenta, alimentação, atividades fisiológicas e de toalete. A sobrevida média após o diagnóstico de demência é de 3,3 anos.

Abrir arquivo em PDF

Acidentes por Animais Peçonhentos: Serpentes Peçonhentas.

Marisa M. de Azevedo-Marques; Palmira Cupo & Sylvia Evelyn Hering.
Medicina, Ribeirão Preto, 36: 480-489, abr./dez. 2003.
Número: 990 / Publicado em 23/06/2012 - 21:50

São abordados aspectos da fisiopatologia, clínica e terapêutica dos envenenamentos humanos, causados por serpentes peçonhentas dos gêneros Bothrops, Crotalus e Micrurus, que ocorrem no sudeste do Brasil. Elaboração de diretrizes para o atendimento dos pacientes na U.E-HCFMRP-USP e reprodução dos princípios para a indicação de soroterapia antiveneno (SAV). Quando aplicada, a SAV deverá ser administrada por via intravenosa, gota a gota, sem diluição, precedida por drogas anti-histamínicas (anti H1 e anti H2) e corticóides, visando à proteção contra possíveis reações de hipersensibilidade e sem que sejam realizados testes cutâneos previamente.

Abrir arquivo em PDF

Acidentes por Animais Peçonhentos: Escorpiões e Aranhas.

Palmira Cupo; Marisa M. de Azevedo-Marques & Sylvia Evelyn Hering.
Medicina, Ribeirão Preto, 36: 490-497, abr./dez.2003.
Número: 989 / Publicado em 23/06/2012 - 21:51

São abordados aspectos da fisiopatologia, clínica e terapêutica dos envenenamentos humanos, causados por escorpiões do gênero Tityus e aranhas do gêneros Phoneutria e Loxosceles, encaminhados ao Centro de Controle de Intoxicações (CCI) da U.E.- HCFMRP USP. Quando indicada, a soroterapia antiveneno (SAV) específica deverá obedecer ao roteiro de aplicação, descrito para os acidentes ofídicos.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Cuidados de Feridas.

Secretaria Municipal de Saúde.
Prefeitura Municipal de Florianópolis - Julho, 2008.
Número: 988 / Publicado em 23/06/2012 - 21:52

Ferida é qualquer lesão que interrompa a continuidade da pele. Pode atingir a epiderme a derme, tecido subcutâneo, fáscia muscular, chegando a expor estruturas profundas. As feridas são classificadas segundo diversos parâmetros, que auxiliam no diagnóstico, evolução e definição do tipo de tratamento, tais como cirúrgicas, traumáticas e ulcerativas.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Assistência aos Portadores de Feridas.

Gerência de Assistência – Coordenação de Atenção à Saúde do Adulto e do Idoso.
Secretaria Municipal de Saúde - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte - Revisão 2006.
Número: 987 / Publicado em 23/06/2012 - 21:53

Este protocolo visa a instrumentalizar as ações dos profissionais e sistematizar a assistência a ser prestada ao portador de ferida, além de fornecer subsídios para implementação desta assistência.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
17/06/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter